Exame que substituirá o PSA


O novo exame capaz de apontar a presença de tumor na próstata consiste em identificar na urina do paciente a presença de uma proteína chamada engrailed-2, ou EN2, que é produzida por células cancerígenas da próstata.


O exame do EN2 está em desenvolvimento por pesquisadores da Universidade de Surrey, na Grã-Bretanha, em parceria com o laboratório britânico Rodox, que vai passar a fabricar e comercializar o kit. Ainda está pendente à aprovação das agências reguladoras de cada país em que ele for utilizado, no caso do Brasil, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


Atualmente, o diagnóstico do câncer de próstata é feito principalmente pelo exame de PSA no sangue e pelo toque retal. Atenção: um exame não exclui o outro e o correto é o paciente fazer os dois exames.


Isso porque, enquanto o exame do PSA fornece informações como a progressão da doença e as chances de recorrência do câncer, o exame de toque pode dizer qual é a extensão do tumor e ajudar o médico a escolher o melhor tratamento para cada caso.


Se os resultados de ambos forem de suspeita do câncer da próstata então, o paciente precisa realizar uma biópsia para buscar pela confirmação ou exclusão do câncer da próstata.


O estudo mostrou que o exame na urina da proteína EN2 detecta o câncer de próstata com uma precisão aproximadamente duas vezes maior do que a do exame de PSA. A mesma pesquisa indicou que o exame de urina da EN2 forneceu o diagnóstico correto a 90% dos pacientes que não tinham câncer de próstata. Os outros 10% apresentavam um grau muito pequeno da doença, que não era clinicamente significante.


Essa é uma vantagem do exame da EN2 sobre o PSA que costuma dar resultados falsamente positivos e assim, dois terços dos pacientes submetidos à biópsia após o PSA indicar suspeita de câncer não possuem a doença.


 


Fonte: PublMed



Published: 4/10/2015

Inscreva-se





Área Restringida