Exame de toxoplasmose cerebral usa antígenos do parasita


Os antígenos excretores-secretores do Toxoplasma gondii (ESA) e um antígeno de taquizoíto foram usados para estudar o líquido cefalorraquidiano (CSF) no que se refere à infecção ativa. Os antígenos do parasita foram usados num ensaio ELISA e imunoblot para determinar se os anticorpos anti-ESA estavam presentes em pacientes infectados com o vírus HIV. Pesquisadores do Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, testaram o líquido cefalorraquidiano de 270 pacientes infectados com HIV e dividiram em três grupos de acordo com a presença ou ausência da toxoplasmose ativa. No grupo I havia 99 pacientes com toxoplasmose cerebral; no grupo II, havia 112 pacientes com outras doenças neurológicas oportunistas e também positivas para toxoplasmose; e no grupo III havia 59 pacientes com outras doenças neurológicas oportunistas e negativas para toxoplasmose. Assim, os autores do estudo concluíram que as amostras de líquido cefalorraquidiano podem ser usadas para detectar toxoplasmose cerebral, se combinadas com informações clínicas, sorológicas e radiológicas, possibilitando uma metodologia simples e particularmente apropriada para países com alta prevalência de toxoplasmose latente em grande parte da população. O estudo foi publicado em setembro no jornal Diagnostic Microbiology and Infectious Diseases. Fonte: Labmedica.com



Publicado em: 10/4/2015

Inscreva-se





ÁREA RESTRITA