Coronavírus: uma epidemia de Fake News


As fake news sobre alertas globais de saúde geram uma espécie de epidemia de informações capaz de se alastrar mais rapidamente que um vírus. A mais recente vítima desse ataque é o novo coronavírus surgido na China – que se espalhou por mais de 20 países e rende uma série de notícias falsas compartilhadas em aplicativos de mensagens.

O PNCQ, com o intuito alertar aos colaboradores e prestadores de serviço na área da saúde e também a população de modo geral, informa:

O Ministério da Saúde vem publicando uma série de alertas a respeito das fake news sobre o novo vírus em suas redes sociais. Por meio das mensagens é possível esclarecer que é falso que o Ministério da Saúde tenha, por exemplo, orientado a população a beber água quente e a evitar lugares fechados até março de 2020, que o diretor do Hospital das Clínicas tenha emitido alertas à sociedade, que o chá de erva doce tem a mesma substância do medicamento Tamiflu ou que o governo esteja cogitando cancelar o Carnaval por causa do surto, entre outras notícias falsas.

É importante orientar a população a checar a veracidade das mensagens recebidas antes de repassá-las. Por isso, o Ministério da Saúde mantém desde 2018 uma página na internet (saude.gov.br/fakenews) e um número de WhatsApp (+55 61 99289-4640) dedicado a receber e analisar informações sobre saúde – sobretudo as disseminadas via aplicativos de mensagens e grupos em redes sociais.

É possível verificar algumas dessas fake News nas redes sociais do MS clicando AQUI.

Fontes:

DW

Folha de São Paulo

Folha de São Paulo



Publicado em: 17/03/2020

Inscreva-se





ÁREA RESTRITA