Um resumo histórico da SBAC e do PNCQ


 

Recebemos uma carta escrita pelo Dr. Francisco de Assis Campos Saraiva, oficial do exército de Roraima, na qual há um excelente resumo histórico da história da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas – SBAC, e do Programa Nacional de Controle de Qualidade – PNCQ.

 

O texto pode ser conferido abaixo:

 

 

 

 

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANÁLISES CLÍNICAS, SUBLIME ORGULHO DE TODOS NÓS

 

              Voando pelas asas infinitas do tempo, ali me deparei com o ano de 1969 do século passado e a data memorável é 28 de novembro, que já se vai distante. Naquele dia, profissionais dinâmicos e de espírito luminar se reuniram, irmanados num só pensamento e inspirados na sabedoria do Pai Eterno e fundaram a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas – SBAC, como sociedade civil de fins não econômicos e de caráter científico-profissional, voltada ao desenvolvimento das análises clínicas e de seus profissionais. Estavam reunidos brilhantes profissionais, como o Professor Mateus Mandu da Souza, João Ciribelli, Durval Mazzei, Marques D’Almeida, Ney Haushan, Zanonato e outros que a memória não lembra, tendo como líder do grupo José Abol Corrêa, de uma vontade indômita a toda prova. No mesmo ano foi lançada a primeira edição da Revista Brasileira de Análises Clínicas – RBAC, de cunho científico, que foi se aprimorando com o passar dos anos e distribuída sem ônus para os associados.

              Em 1971, a SBAC realizou o I Congresso Brasileiro de Análises Clínicas. Até o presente foram 44 congressos realizados, dos quais tive a primazia de participar de 30 nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Curitiba, Foz do Iguaçu, Goiânia, Recife, Fortaleza, Natal, João Pessoa e outras. Um reencontro fraterno de amizade, de atualização científico-profissional, todos prestigiados e bem organizados à toda prova. Em 1972, foi criado o regulamento específico para outorga do “Título de Especialista em Análises Clínicas” para os profissionais que fossem aprovados em Concurso de Provas Escritas e Práticas de Conhecimento e Títulos. Desde então sou possuidor do Título de Especialista em Análises Clínicas. Em 1973, a SBAC, representando o Brasil, fundou junto a outros países da América Latina a Confederación Latino-Americana de Bioquímica Clínica – COLABIOCLI, onde estão associadas todas as sociedades científicas profissionais da especialidade, da Região. Em 1974, a SBAC filiou-se a International Federation of Clinical Chemistry – IFCC, sendo a maior sociedade científica mundial da especialidade. A SBAC é a única filiada e representante oficial da mesma no Brasil.

              Em 1976, sob o patrocínio da SBAC, foi criado o Programa Nacional de Controle de Qualidade – PNCQ, que, em 1995, foi transformado no Programa Nacional de Controle de Qualidade Ltda., tendo como finalidade pesquisar, preparar, comprar e distribuir material de controle, receber, processar, avaliar e expedir resultado do desempenho dos Laboratórios Clínicos que participam voluntariamente do programa. Em 1978, a SBAC mobilizou-se para a realização do XII Congresso Internacional de Química Clínica, em 1985 no Rio de Janeiro, sob o patrocínio da Internacional Federation of Clinical Chemistry – IFCC, órgão maior de prestígio na especialidade em todo o mundo. O congresso foi realizado em conjunto com o V Congresso Latino-Americano de Bioquímica Clínica e XII Congresso Brasileiro de análises Clínicas.  Em 1996, a SBAC filiou-se como membro profissional à NCCLS (Clinical and Laboratory Standards Institute). A maior parte dos dirigentes atuais da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas são Membros “Advisor”, do NCCLS. Em 1997, a SBAC, visando contribuir melhor para o seu aprimoramento, filiou-se à Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, como entidade mantenedora. Projetou a necessidade de normatização do setor de análises clínicas e de produtos de diagnóstico em vitro e a ABNT criou o ABNT/CB-36, tendo a SBAC como sua Secretaria Técnica. Em 1997, preocupada com a qualidade do Laboratório Clínico, a SBAC criou o seu Departamento de Inspeção e Credenciamento da qualidade, objetivando certificar o sistema da qualidade do Laboratório Clínico, dando conhecimento público em novembro de 1998. Como evolução natural do mercado, o DICQ no ano 2004 deixa a condição de departamento e passa a ser uma empresa científica de acreditação de sistemas de qualidade reconhecida internacionalmente e passou a se chamar Sistema Nacional de Acreditação – DICQ.  A SBAC solicitou em fevereiro/99 ao Comitê Mercosur de Normalización a criação de um Comitê Setorial Mercosul com a denominação de Análises Clínicas e Diagnóstico in vitro, que teve aceitação em reunião do Comitê Setorial Mercosul, realizada em maio/99 em Montividéo-Uruguay, daí surgindo o CSM-20 e sendo designada a SBAC como Secretaria Técnica. Em 2008 foi criado o Centro de Pós-Graduação – CPG e no ano seguinte o SBAC E-learning, objetivando difundir o conhecimento com a formação de profissionais que façam diferença no mercado onde atuam. Em 2015, essas atividades foram concentradas no Centro de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas – CEPAC, organizado com a estrutura para realizar atividades presenciais em salas de aulas teóricas e laboratoriais. Hoje, a SBAC conta com mais de 12.000 sócios efetivos inscritos e possui Regionais e Delegacias em vários estados do país, como Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Paraíba, Piauí, Tocantins, Rondônia e Acre.

              HISTÓRICO DO PNCQ – o Programa Nacional de Controle de Qualidade teve início em 1976, durante a realização do V Congresso Brasileiro de Análises Clínicas em Belo Horizonte – MG, quando ali foi distribuído a alguns laboratórios um soro liofilizado para determinadas dosagens em bioquímica. Posteriormente, outras amostras-controle foram enviadas, sem frequência definidas. Daí por diante, o PNCQ foi administrado pela SBAC, diretamente ou de forma terceirizada. Em 1985, a SBAC decidiu administrar definitivamente o PNCQ, até ser transformado em pessoa jurídica independente em 1993. Daí por diante, deu início a uma fase de crescimento e modernização do Programa, transformando-o no maior e melhor existente no país, introduzindo novos materiais destinados ao Controle Externo, de planilhas informatizadas de inserção de resultados no Centro de Processamento de Dados do PNCQ, por meio da Internet, proporcionando rapidez na avaliação das respostas de seus clientes. Hoje, o PNCQ se orgulha de ser o maior Provedor de Ensaio de Proficiência de porte nacional e de representar o Brasil em várias associações científicas internacionais, além da adesão considerável de Laboratórios Clínicos nacionais e internacionais, que vem se desenvolvendo de forma contínua. Este ano o PNCQ está completando 40 anos de um trabalho profícuo e dedicado, tendo à sua frente o Dr. José Abol Corrêa, que dedicou toda sua vida a Profissão que abraçou. Sua luta inicial foi com a criação da SBAC em 1969 e oito anos depois, dando início ao PNCQ, numa luta sem tréguas e perseverante. É um defensor arguto da gestão da qualidade nas análises clínicas. Formado em Farmácia em 1955, pela Universidade Federal do Pará. É também coronel da Aeronáutica, onde se especializou em saúde, em 1962. Exerceu durante 13 anos o cargo de presidente da SBAC. Foi chefe do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital da Aeronáutica (em 1962) e membro do Comitê de Educação da IFCC (1976 – 1984) entre outros cargos. Foi desde 1985, coordenador Geral do Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ) e auditor líder do DICQ (Sistema Nacional de Acreditação).  O PNCQ possui mais de 5.000 laboratórios participantes, sendo 185 no exterior. Tem amostras-controle para 69 programas. Tem amostras-controle para uso no controle interno para mais de 60 programas. Possui material de referência PNCQ para bioquímica, sorologia para banco de sangue, NAT, metais para urina, Medicina do Trabalho, substâncias voláteis, biologia molecular para HIV, HCV, HBV e tuberculose. Está exportando amostras-controle para a Europa e países da América Latina. O atual Presidente da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas é o Dr. Jerolino Lopes Aquino (MT); Vice-Presidente Dra. Maria Elizabeth Menezes (SC); Sec. Geral Dr. Jairo Epaminondas Breder Rocha (in memoriam); Sec. Dr. Luiz Roberto Santos Carvalho (BA); Tesoureiro Dr. Estevão José Colnago (RJ); Dir. Executivo Dr. Luiz Fernando Barcelos (RS). Superintendente do PNCQ Dr. Francisco Edison Pacifici Guimarães (RJ). Dir. Administrativo do PNCQ Dr. José Abol Corrêa (RJ). Coordenador do DICQ Dr. André Valpassos Pacifici Guimarães (RJ).

              Esta é uma história profissional de tantas lutas de denodados companheiros e muitos deles já estão no Plano Celeste. E a todos deixo uma mensagem “in memorian”, para que a lembrança fique perpetuada em nossa mente e como morada sagrada, em nossos corações. Nossa mensagem sublime enviamos do Extremo Norte do Brasil, com uma saudação perene ao nosso Pai Criador, por tudo que nos proporcionou de bom nessa ingente caminhada. Que Deus abençoe a todos, as distintas famílias e as pessoas caras que os cercam.

Boa Vista – Roraima, 04 de outubro de 2016.

Dr. FRANCISCO DE ASSIS CAMPOS SARAIVA

Oficial R1 do Exército   

Membro da ALB e da ALLCHE    



Publicado em: 15/10/2016

Inscreva-se





ÁREA RESTRITA