Anvisa divulga panorama de bancos de cordão umbilical no Brasil


A Anvisa publicou, nesta quinta-feira (21/11), o Relatório de Avaliação dos Dados de Produção dos Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário referente ao período de 2011 e 2012. O relatório apresenta um panorama geral da distribuição dos serviços no país, uma avaliação dos dados de produção quanto a quantidade de unidades armazenadas e os motivos referentes à desqualificação e o destino das unidades progenitoras hematopoéticas (CPH). O relatório também traz informações sobre os indicadores de qualidade dos bancos.


Os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário são divididos em dois tipos: os serviços para uso alogênico não-aparentado constituintes da rede pública BrasilCord (BSCUP) e os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário para uso autólogo (BSCUPA). Os Bancos BSCUP são mantidos pelo poder público. Nestes bancos, o sangue armazenado é proveniente de doações, e poderá ser utilizado por qualquer pessoa que necessite, inclusive pelo próprio doador, desde que haja compatibilidade e o sangue esteja disponível.


Já os bancos para uso autólogo (BSCUPA) são instituições privadas que possuem autorização para executar, exclusivamente, armazenamento de unidades com fim de utilização pelo próprio paciente.


Dados


O relatório aponta que existem, em todo o país, 10 bancos do tipo BSCUP: um na região Norte, um na região Nordeste, cinco na região Sudeste e três na região Sul. Não há bancos desta natureza na região Centro-Oeste. Entre 2011 e 2012, foram armazenadas nos bancos público 1.882 unidades de Células Progenitoras Hematopoéticas (CPH) para uso halogênico.


Já os bancos privados totalizam 19 unidades sendo três na região Centro-Oeste, três na região Sul, três na região Nordeste e dez na região Sudeste. Não há bancos desta natureza na região Norte. Foram armazenados nos bancos privados 31.388 unidades de CPH para uso autólogo.


Fonte: Anvisa 



Publicado em: 10/4/2015

Inscreva-se





ÁREA RESTRITA